A tecnologia 5G, vantagens e desafios

Ágatha Ferreira
11 de Outubro de 2021
Tempo de Leitura: 8 minutos
A expressão ‘tecnologia 5G’, para alguns, já ecoa familiaridade. Com aplicações e estudos desenvolvidos há mais de 6 anos, o projeto já está consolidado e pode ser instalado nas capitais do país a partir de julho de 2022. As companhias interessadas na tecnologia 5G devem participar do leilão das licitações de telecomunicação, sendo essa a maior da história do país.
Publicado pela Anatel no último dia 27, a versão definitiva do leilão está aprovada pelos diretores. O que é aguardado a partir de agora serão os ajustes, como: questionamentos, respostas às questões, entrega da proposta e, por fim, o leilão que será realizado no dia 4 de novembro deste ano.
image
A fim de compreender o processo da implementação no Brasil, é necessário conhecer o que é a tecnologia 5G, assim como seu diferencial em relação às outras tecnologias já existentes, como 4G, 3G e 2G.
O 5G não se refere apenas a uma internet mais rápida, o que de fato é, mas também a uma capacidade maior para conexão com outros aparelhos. Visto que cada vez mais o mercado vem oferecendo equipamentos que utilizam a internet, com a tecnologia 5G será possível a conexão com mais de 200 dispositivos em uma única antena de transmissão.
Conhecido como Internet das Coisas (IoT), eletrodomésticos, carros e eletrônicos poderão estar conectados na mesma antena, podendo aproveitar as torres já existentes de 3G e 4G, e assim adicionar o 5G. Outro diferencial é seu caráter de baixa latência, o que significa maior rapidez na resposta da rede, permitindo operar máquinas e veículos autônomos ou até mesmo realizar cirurgias a distância.
Além disso, o conceito de baixa latência proporcionará a realidade aumentada, através da rápida resposta da rede objetos reais poderão criar um ambiente virtual. De acordo com Ariana Serrano, professora da Poli-USP, a tecnologia 5G pode ser definida como uma estrada com mais pistas possibilitando um novo conceito de conectividade e mais caminhos para transmitir informações.
Para além das vantagens já citadas, outra consequência da chegada do 5G é a aderência ao modelo PTT over Cellular, conhecido como Poc. A tecnologia que utiliza smartphones como rádios comunicadores será beneficiada com as redes 5G, visto que trará maior disseminação de sistemas emergenciais, conhecidos como Mission Critical Push to Talk, MCPTT, frequentemente utilizado pelo segmento de logística de ambulâncias.
image
Esse avanço tecnológico será fundamental para a transição de sistemas convencionais de rádio (LMRs) para sistemas mais modernos, com diversas outras funcionalidades agregadas, transformando setores da economia que necessitam de uma comunicação de prontidão. Junto a IoT, que permite maior conectividade entre diversos dispositivos, será possível o uso de drones, sensores e tecnologia de uso (wearables) a fim de suprir as necessidades dos serviços emergenciais.
Contudo, obstáculos já são apontados por especialistas, dentre eles pode-se citar o menor alcance, demora na experiência da tecnologia e desafio na privacidade. Seria necessário a instalação de aproximadamente uma antena por poste e áreas rurais não sustentariam essa infraestrutura.
Outro fator é que, inicialmente, não haveria dispositivos disponíveis no país, o que abaixaria a demanda e, consequentemente, deixaria os preços pouco acessíveis à população. Observa-se também que um usuário da conexão 4G não sentiria diferença pela troca do 5G, já que a primeira atende bem às demandas, em velocidade e conexão. O único fator diferencial, neste primeiro momento, seria o maior preço na adesão.
É importante ressaltar que, devido às muitas conexões entre diferentes dispositivos na mesma rede, a segurança do usuário se tornaria suscetível através do excesso de compartilhamento de dados (leia aqui sobre a lei de proteção dos dados).
Já em sua versão final, o edital do leilão da Anatel conta com algumas especificações direcionadas aos vencedores, são elas:
– arrematadores da faixa de 26 GHz terão que investir para garantir a conectividade nas escolas públicas de ensino básico;
– vencedores da faixa 3,5 GHz serão responsáveis pela migração do sinal da TV parabólica;
– o 5G deverá ser disponibilizado em todas as capitais do país até 31 de julho de 2022;
– as rodovias do país deverão contar com internet 4G;
– será construída, pelas empresas investidoras, uma rede privativa de comunicação para a administração federal.
image
De acordo com Pietro Labriola, CEO da TIM, a implementação da tecnologia 5G será uma revolução que poderá acarretar um aumento de 5% no PIB do país até 2035 através do desenvolvimento de startups e da mudança no comportamento profissional.
Além disso, por conta do leilão, presumem-se investimentos de até R$ 20 bilhões anualmente. Ailton Santos, executivo da Nokia, também afirma que: ‘’com o impacto do 5G no Brasil nos próximos 15 anos, a conclusão é que veremos um ganho de produtividade de US$ 1,2 trilhão. Isso equivale a 1% de ganho no PIB brasileiro por ano daqui para frente.”
Dessa forma, a tecnologia 5G é vista como um alavancador econômico que, apesar dos desafios existentes, assegura uma transformação no aspecto social dos brasileiros. O leilão está previsto para o início de novembro e, a partir daí, será anunciado as empresas vencedores que terão a responsabilidade de implementar a inovadora tecnologia no país.
Fontes:
https://www.cnnbrasil.com.br/business/anatel-publica-edital-do-leilao-das-faixas-do-5g-2/

https://www.cnnbrasil.com.br/business/entenda-o-que-e-o-5g-e-como-esta-sua-implementacao-no-brasil/
https://www.cnnbrasil.com.br/business/experiencia-de-brasileiros-com-5g-vai-demorar-alguns-anos-diz-especialista/
https://www.cnnbrasil.com.br/business/ceo-da-nokia-adocao-rapida-do-5g-e-essencial-e-brasil-precisa-acelerar-processo/